Agenda
dezembro 2017
D S T Q Q S S
« nov    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  
Notcell Informática
Joker Service

Archive for the ‘Poesias’ Category

Pedra Bruta

Já fiz tantas coisas…

Vi e vivi outras tantas… Aprendi muito.

Não me arrependo de ter dado risada à toa ou chorado por alguém que sequer lembra meu nome…

Já fui palhaço,

Astronauta,

Caçador e Bombeiro.

Fui bruxo, anjo, poeta.

Tio, filho, irmão e professor.

Aluno, moleque sapeca.

Lutador e louco.

Médico e Massagista.

Noivo, namorado.

Já voei bem alto e mergulhei bem fundo.

Minhas lembranças são meu maior tesouro.

Lembro das gotas de chuva tocando meu rosto quando eu brincava na chuva.

Ainda sinto o gosto daquele beijo.

Morro de rir quando lembro das artes que aprontei.

Choro ao lembrar das pessoas queridas que passaram pela minha vida… mas volto a sorrir quando penso nas que estão presentes nela.

Se jurei amor eterno? Várias vezes!!

Também já senti ódio.

Já tentei me esconder, correr, dei a volta no mundo… mas acabei no mesmo lugar.

Não … não sei tudo … nem vivi tudo ainda.

Aprendi a amar, e aceitar ser amado.

Não tenho mais medo.

Ainda gosto do pôr-do-sol e de paquerar a Lua.

Agradeço a Deus toda manhã,

Pelos amigos

Amores

Inimigos

E por tudo que conquistei e aprendi.

Peço desculpas pelas rosas roubadas,

Pelas lágrimas que rolaram por minha causa.

Pelas dores que causei.

Pelas noites de sono que roubei.

Pelos beijos roubados.

Desculpem por eu ter sido teimoso

E algumas vezes irritante.

Se fui indelicado e impaciente.

Se fui mesquinho

Ou metido.

Desculpem-me pelos meus erros

mas não me arrependo deles …

Pois eles me ensinaram.

Somos como os diamantes brutos,

precisamos ser lapidados.

E quem melhor que a vida

para nos tirar lascas

e nos deixar cada vez mais valiosos,

melhores

e mais bonitos.

 

 Mago Joker (meu filho)

Poesias que alimentaram meus dias

Riscos

Rir é arriscar-se a parecer bobo.

Chorar é arriscar-se a parecer sentimental.

Iniciar relações é arriscar-se a envolver-se.

Demonstrar sentimentos é arriscar-se a não ser aceito.

Revelar seus sonhos é arriscar-se a parecer ridículo.

Amar é arriscar-se a não ser amado.

Continuar avançando contra o pouco provável, é arriscar-se a fracassar.

Porém, os riscos devem ser tomados, porque o perigo maior na vida, é não arriscar nada.

Aquele que não arrisca…

Não faz nada, não tem nada, não é nada.  Pode até evitar o sofrimento e a dor, mas não pode aprender, sentir, mudar, crescer nem amar.

Amarrado  a tudo o que é segurança, ele é um escravo, renunciou a sua liberdade.

Só uma pessoa que corre riscos, é livre.

 Ralph Waldo Emerson.

Se você não puder ser…

Se você não puder ser um pinheiro no topo da colina,

Seja um arbusto no vale – mas seja

O melhor arbusto à margem do regato.

Seja um ramo se não puder ser árvore.

Se não puder ser ramo, seja um pouco de relva,

E dê alegria a algum caminho.

Se não puder ser almíscar, seja então uma tília-

Mas a tília mais viva do lago!

Não podemos ser todos capitães, temos de ser tripulação.

Há alguma coisa para todos nós aqui.

Há grandes obras e outras menores a realizar,

E é a próxima a tarefa que devemos empreender.

Se você não puder ser uma estrada, seja apenas uma senda,

Se não puder ser Sol, seja uma estrela;

Não é pelo tamanho que terá êxito ou fracasso,

Mas seja sempre, o melhor do que quer que você seja!

 Douglas Malloch

IF

 Tradução de Guilherme de Almeida

Texto de Rudyard Kipling

 Se és capaz de manter a tua calma quando todo o mundo ao redor de ti já a perdeu e te culpa;

De crer em ti quando estão todos duvidando, e para esses, no entanto, achar uma desculpa.

Se és capaz de esperar sem te desesperares,

ou, enganado, não mentir ao mentiroso,

ou, sendo odiado, sempre ao ódio te esquivares,

e não parecer bom demais, nem pretensioso;

Se és capaz de pensar – sem que a isso só te atires,

de sonhar – sem fazer dos sonhos teus senhores;

Se encontrando a Desgraça e o Triunfo conseguires

tratar da mesma forma esses dois impostores;

Se és capaz de sofrer a dor de ver mudadas em armadilhas

sãs verdades que disseste,

e as coisas porque deste a vida, estraçalhadas,

e refazê-las com o bem pouco que te resta.

Se és capaz de arriscar numa única parada

tudo quanto ganhaste em toda a tua vida,

e perder, e ao perder, sem nunca dizer nada,

resignado, voltar ao ponto de partida;

de forçar coração, nervos, músculos, tudo

a dar seja o que for que neles ainda existe,

e a persistir assim, quando exaustos, contudo,

resta a vontade em ti que ainda ordena: “Persiste”.

Se és capaz de, entre a plebe não te corromperes

e, entre Reis, não perderes a naturalidade.

E, de amigos, quer bons, quer maus, te defenderes,

se a todos podes ser de alguma utilidade.

E se és capaz de dar, segundo por segundo,

ao  minuto fatal, todo o valor e brilho,

tua é a terra, com tudo o que nela existe,

e – ainda mais o que é mais – tu serás um Homem, meu filho!

 

 

O HOMEM E A MULHER

  Victor Hugo

 O Homem é a mais elevada das criaturas, a Mulher o mais sublime dos ideais,

Deus fez para o Homem um Trono, para Mulher um Altar;

o Trono exalta, o Altar santifica.

O Homem é o Cérebro, a Mulher o Coração,

o Cérebro produz a Luz, o Coração produz o Amor;

A Luz fecunda, o Coração ressuscita.

O Homem é o Gênio, a Mulher o Anjo,

O Gênio é Incomensurável, o Anjo Indefinível;

O Incomensurável é contemplado, o Indefinível admirado.

O Homem é a Suprema Glória, a Mulher é a Virtude Suprema,

A Glória cria o Grande, a Virtude, o Divino.

O Homem tem a Supremacia, a Mulher a Preferência,

a Supremacia significa a Força, a Preferência significa o Direito.

O Homem é forte pela Razão, a Mulher é invencível pelas Lágrimas,

a Razão convence, as Lágrimas comovem.

O Homem é capaz de todos os Heroísmos, a Mulher de todos os Martírios,

o Heroísmo Enobrece, o Martírio Sublima.

O Homem é um Código, a Mulher um Evangelho,

o Código corrige, o Evangelho aperfeiçoa.

O Homem é um Templo, a Mulher um Sacrário,

ante o Templo nos descobrimos, ante o Sacrário nos ajoelhamos.

O Homem Pensa, a Mulher Sonha,

Pensar é ter no cérebro uma lava, Sonhar é ter no espírito uma auréola.

O Homem é um Oceano, a Mulher é um Lago,

o Oceano tem a pérola que embeleza, o Lago tem a poesia que deslumbra.

O Homem é a Águia que voa, a Mulher o Rouxinol que canta,

Voar é dominar o espaço, Cantar é conquistar a alma.

O Homem é o Ramal da Consciência, a Mulher a Estrela da Esperança,

o Ramal guia, a Esperança salva.

Enfim o Homem está colocado onde termina a terra,

e a Mulher  onde começa o céu.

 

A ABELHA E A ROSA

Cleómenes Campos

 

Balouçava-se ao vento uma rosa vermelha,

em que um raio de sol punha um reflexo louro;

viu-a, pelo perfume, uma pequena abelha,

e começou a lhe sugar o pólen de ouro.

As abelhas, irmãs aladas das mulheres,

são todavia insatisfeitas e curiosas.

Ora, eu tinha num vaso uns botões rosicleres,

que, por ser de papel, nunca seriam rosas.

Ela porém supões que fossem verdadeiras;

e, deixando o jardim, onde havia outras flores,

voou sem ver por sobre todos os canteiros,

na atração singular dos botões rosicores.

Minha janela estava aberta por acaso.

Ela entrou a zumbir. Mas fechei-a nessa hora.

E a pobre, assim que viu a mentira do vaso,

pensou na linda flor que deixara lá fora.

Foi-se à vidraça a olhar; tentou fugir… e nada:

estava presa em minha sala silenciosa.

E, dois dias depois, achei-a inanimada,

na mesma posição, inda fitando a rosa.

Ó alma, que a ambição vai levando à cegueira:

não te esqueças da abelha ambiciosa e iludida!

– não deixes nunca a tua rosa verdadeira

pelos falsos botões que encontrares na vida!